2008 | ela e mais alguma coisa – estudo para solo banal

Especular sobre uma poética cotidiana, sobre as ações ordinárias que constituem a vida de todos os dias, e no entanto e por isso mesmo, passam desapercebidas. Estudo produzido para os Solos de Dança do Sesc 2008 em parceria com Micheline Torres.

interpretação: Dani Lima
concepção e direção: Dani Lima e Micheline Torres
colaborações: Alex Cassal e Denise Stutz
trilha sonora: Lucas Marcier
luz: Paulo Cesar Medeiro
fotos: Bruno Veiga, Alex Cassal


“Em Ela e mais alguma coisa, Dani Lima e Micheline Torres investigam o gesto feminino mais cotidiano, aquele que perpassa os dias, mas que quase nunca é desvelado. A qualidade do que se apresenta, ainda em forma de pleno processo de elaboração coreográfica, é a da delicadeza enxuta de quem experimenta esse gesto não como um produto, mas antes como algo que está ali em sua dimensão própria, usual, quase banal, quase imperceptível de tão corriqueira”.
Roberto Pereira | Jornal do Brasil

“Em Ela e mais alguma coisa, Dani Lima, em parceria com Micheline Torres, busca criar um ambiente em que a dança perca qualquer qualidade extraordinária. A lista de acontecimentos que compõem um dia, quase todos sem importância, serve de pano de fundo para tratar a dança como um desses eventos.(…) A presença de Dani Lima oscila entre esse estado de tranquilidade quase regular e outros em que se deixa invadir pela dança e mostra que em seu corpo ela aponta para novos desenhos”.
Silvia Soter | O Globo

“O corpo na sua intimidade, sandálias havaianas, calça, blusa, olhando o público, prestes a falar algo, a dançar ou a estar lá, parado. Corpo quase se movendo. Corpo pensando no que fazer. (…) Falamos de danças contemporâneas que assim se definem por pensar o corpo como meio de repensar sua própria dança, não só feita de passos guardados, reproduzidos ou compostos em nova ou velha configuração, mas sim de corpo contido de memória, histórias cheias de estórias e, portanto, de imagens que expõe a matéria do corpo”.
Nirvana Marinho | Polêmica Imagem

  • Terça foi dia de faxina.
    O apartamento ao lado continua vazio
    O porteiro me deu bom dia 2 vezes.
    Eles esqueceram as chaves do carro na casa do pai dela.
    Sofia veio fazer uma visita rápida na hora do almoço.
    Assoei o nariz na pia umas 4 vezes.
    Cortei o cabelo.
    Ela dormiu até mais tarde e perdeu a aula.
    Um maribondo entrou voando dentro de casa.
    Ontem fui trocar a bateria do relógio e perguntei pro vendedor quanto tempo ela durava. Ele me respondeu que ela ia durar até acabar.
    Ela arregaçou a bainha da calça e prendeu o cabelo. Abriu a torneira, ligou a bomba d’água, puxou a mangueira e ficou uns minutos molhando as plantas. Depois colocou a mangueira para encher um balde e foi varrer o quintal.
    O vento bateu a porta do quarto com força.
    Eu passei o domingo em casa.
    Semana passada ele visitou a mãe dele.
    Comprei pão doce.
    Faltou luz a noite toda por causa da chuva
    Sonhei que meu bebê nnao precisava mais de mim.
    A janela da sala ficou aberta.
    Minha mãe fez 75 anos. Provavelmente eu estou na metade de minha vida.