os sete gatinhos

Começaram os ensaios da intervenção performática que faremos no projeto InDrama, na Casa França-Brasil, a partir da obra de Nelson Rodrigues. Nossa tarefa são os 7 gatinhos.

Sábato Magaldi: O puritanismo esconde sempre a violenta repressão ao sexo/ Violenta nostalgia rodrigueana de pureza/ Só se conhece um relativo repouso quando se domou a indisciplina do desejo /A repressão do desejo que gera a explosão das taras, incestos e mortes violentas /Nelson não vê salvação fora da graça. Nesse moralismo radical, o corpo torna-se antonimo de santidade. … Para o dramaturgo a única salvação possível do homem esta no amor, sentimento que o absolve do exílio terrestre.

Nelson Rodrigues: O degradado absoluto não existe e em cada um de nós há um santo enterrado como sapo de macumba. Esse santo pode explodir a qualquer momento/ Desde garoto eu me preocupo com a eternidade do amor. Quando sei que um vago casal se separou, sofro com isso. É quase uma dor pessoal, quase uma ruptura na minha vida. Mas as pessoas se separam pq realmente não amavam. Agora mesmo, aos 61 anos de idade, acho que a pior forma de adultério é a da viúva que se casa novamente. Mas se casa porque não conhecia o amor. Sou absolutamente a favor da fidelidade, inclusive masculina, é uma nostalgia do amor eterno.