bio

A bailarina e coreógrafa Dani Lima vive e trabalha no Rio de Janeiro. Foi fundadora da Intrépida Trupe, grupo que integrou por 13 anos. Em 1997 criou sua companhia com a qual tem realizado diversos espetáculos, residências e workshops em instituições artísticas  e festivais por todo Brasil e na Europa, tais como: Panorama de Dança RJ; Europália Basil; Kunstencentrum BUDA Kortrijk; Kunstenfestivaldesarts Bruxelas; Bienal SESC de Dança/Santos; Theather der Welt – Halle/Alemanha; Play! Leipzig; Alkantara – Lisboa, Four days in motion – Praga; Move Berlim; Palco Giratório SESC; Mostra das Artes SESC SP; RioCenaContemporânea; Porto Alegre em Cena; Festival de Londrina.

Seu trabalho à frente de seu grupo investiga questões de identidade, alteridade, memória e percepção, investindo em experiências transdisciplinares e no desenvolvimento de uma poética do corpo cotidiano. Seus espetáculos Piti/1998; Nato/1999; Digital Brazuca/2001; Vaidade/2001; Falam as partes do todo?/2003; Vida real em 3 capítulos/2006-2007 e Pequeno inventário de lugares-comuns/2009 foram destacados a cada ano, pela crítica especializada, entre “os melhores espetáculos de dança” (O Globo).

Dani é formada em Jornalismo pela PUC-RJ (1998), é Mestre em Teatro pela Uni-Rio (2005),  publicou o livro “Corpo, política e discurso na dança de Lia Rodrigues” (2007). Desde 2001 faz parte do corpo docente da Faculdade de Dança, UniverCidade/RJ. É frequentemente convidada para dar palestras, mediar debates e ministrar workshops por todo país e escreve artigos para publicações especializadas em dança, arte e educação.

Também tem colaborado com diversos artistas, como os coreógrafos Lia Rodrigues, Marcela Levi, Gustavo Ciríaco, os artistas visuais Tatiana Grinberg, João Modé, Paola Barreto, os diretores/grupos teatrais Christiane Jatahy, Felipe Rocha, Alex Cassal,  Intrépida Trupe, entre outros.